segunda-feira, 1 de abril de 2013

Troika exige que largura de banda máxima desça para 6 Mbps


Troika exige que largura de banda máxima desça para 6 Mbps

Abebe Selassie, o líder da missão do FMI em Portugal, anunciou uma nova fase no programa de ajustamento da economia portuguesa. A partir de maio, os portugueses não poderão ter acessos à Net superiores a 6 Mbps e não poderão fazer downloads superiores a 50 MB por dia.

troika.jpg
A mestria de Goebbels (ao centro) deverá ser tida em conta nos planos que Selassie (à esquerda) e Schauble (à direita) estão a preparar para o Chipre, Itália, Grécia, Espanha, França, Rússia, Turquia, Coreia do Norte, África, e talvez EUA.
Ontem, ao final da tarde, Abebe Selassie fez chegar uma carta oficial aos gabinetes de Passos Coelho e Vítor Gaspar com duas medidas suplementares que «visam contrariar a cultura do desperdício em Portugal». As duas medidas podem ser explicadas numa única frase: A partir de maio, os portugueses não poderão ter acessos à Net superiores a 6 Mbps e não poderão fazer downloads superiores a 50 MB por dia.
Contactada pela Exame Informática, a assessoria de imprensa do FMI aceitou fornecer mais alguma informação sobre estas medidas inéditas: a decisão de fixar máximos para a largura de banda e para o tráfego disponíveis na Internet começou a ser estudada durante uma visita pessoal de Abebe Selassie à casa do ministro das finanças alemão, Wolfgang Schauble.
«Segundo nos disseram, a ideia de limitar o acesso à Net em Portugal surgiu depois de Mr. Selassie e Herr Schauble levarem o Goebbels a passear à rua para fazer as necessidades. Foi precisamente quando Mr. Selassie se debruçava para retirar, com um saco de plástico reciclável, o dejeto que o Goebbels deixara a meio da Potsdamer Platz, que se lembrou que os portugueses andavam a ver Internet a mais».
O ministro das finanças alemão aplaudiu a ideia, mas aconselhou Selassie a regressar quanto antes a casa, para evitar um encontro com Frau Merkel e o seu Dogue Argentino Adolf, que é conhecido por não gostar de «pessoas que nasceram a sul de Munique».
 A assessoria de imprensa do FMI fez ainda saber que Herr Schauble levou Selassie a cear ao Mac Donalds nessa mesma noite e predispôs-se a pagar a conta. «Comeram ambos um Happy Meal, porque Schauble receou que Mr Selassie pudesse vir a sentir inveja do povo alemão», explicou fonte institucional do FMI.
As operadoras portuguesas já estão a preparar um plano de contingência. Optimus, PT, Vodafone e Zon estão convictas de que os portugueses não vão notar diferença, uma vez que o limite máximo de 6 Mbps já é praticado na larga maioria dos casos, apesar de não ser oficialmente reconhecido. Mais fácil será a solução aplicada para os utilizadores de fibra ótica e 4G: «no caso da fibra ótica são todos administradores da PT, da Optimus, da Vodafone ou da Zon; em contrapartida, no 4G nada há para fazer, pois ninguém usa redes 4G em Portugal».
Vítor Gaspar começou a preparar a gestão do novo cenário de crise com um telefonema para Passos Coelho e Miguel Relvas a avisar para não pagarem já o acesso à Net que têm nas suas casas.

1 comentário:

Jorge Barbosa disse...

Atenção: isto foi publicado no dia 1 de abril.