quarta-feira, 24 de janeiro de 2007

RESPOSTA DO GOVERNO BRITÂNICO AO RELATÓRIO SOBRE EDUCAÇÃO ESPECIAL


PARA LER RELATÓRIO INTEGRAL CLICAR NO TÍTULO

RESUMO
O Governo britânico publicou a sua resposta ao relatório do Comité para a Educação e Formação, a respeito da educação especial em 11 de Outubro de 2006.
Define o plano de acção que pretende pôr em prática, nos próximos três anos, na sequência das conclusões desse relatório. As acções prioritárias situam-se no domínio da formação, com os seguintes compromissos:
  1. continuar a trabalhar com a Agência de Formação e Desenvolvimento das Escolas para melhorar a formação inicial dos professores
  2. dar prioridade à formação profissional contínua destinada a responder às necessidades educativas especiais e/ou deficiência
  3. implementar, a partir de 2006/2007, um plano de formação contínua nos seguintes domínios:
    • fala, linguagem e comunicação (SLCN) e dislexia (a separação é feita no relatório)
    • perturbação do espectro autista (ASD)
    • dificuldades de comportamento, emocionais e sociais (BESD)
    • dificuldades de aprendizagem moderadas (MLD)
A formação contínua iniciar-se-á na área da SLCN e dislexia. Posteriormente será iniciada a formação nas outras áreas, começando pela ASD e BESD, sendo prevista a produção de um pack de formação de professores na área do autismo.
Será reforçado o papel dos coordenadores de educação especial nos estabelecimentos de educação.
Será reforçado o papel das autoridades locais de educação na gestão das questões que dizem respeito às necessidades educativas especiais e/ou deficiência. (os termos aqui usados são os do relatório).
Talvez não fosse mau o Governo português aprender alguma coisa com os governos mais experientes e sobretudo com governos que governam países onde a autonomia das escolas corresponde à história das próprias escolas. Parecem ter menos preconceitos..., e aceitam mais facilmente a ideia de haver áreas prioritárias de intervenção para as quais as escolas não estão tão preparadas como seria de supor.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2007